ENTREVISTA PARA O SITE I LOVE GORDINHAS!

Entrevistadora: Aline Spitzer
1- Conte-nos um pouco sobre você. Quantos anos, o que faz, o que gosta, é casada ou não? Como é o seu dia-a-dia?
Olá, meu nome é Marlucia Félix, tenho 33 anos, sou casada, Assistente Social por formação e Modelo Plus Size_MG_8274 por hobby. Meu dia-a-dia é sempre muito agitado. Trabalho em um hospital público no RJ, como coordenadora de Ouvidoria e sou modelo de provas da Loja Leader. Também sou responsável pela área plus size da Agência MF Models e sou produtora de eventos como o Concurso Grande Musa do Verão e Encontro Plus Size.
 2- Sempe foi gordinha? Teve problemas por ser uma?
Sempre fui gordinha. Em algumas épocas mais gordinha, em outras, menos… Mas graças a Deus, cresci num lar de amor e embora toda a minha família seja magra, sempre fui tratada igualmente e nunca notei diferenças em tratamento por ser gorda.
3- Como descobriu que poderia ser uma modelo plus size?
Após assistir um programa de TV em que modelos plus size eram entrevistadas, percebi que não eram muito diferentes de meu biotipo e resolvi pesquisar sobre este mercado antes de investir. Em fevereiro de 2011 fiz meu primeiro book na Mix Produtora em SP e enviei para várias lojas e agências.
4- Ser Modelo e Miss Simpatia é difícil? Tem muitas cobranças, competições ou brigas? Se sim, como você lida com isso?
O mundo da moda é um mundo fascinante e por isso, muito competitivo, pois mexe com a vaidade! Imagina isso no mundo plus size? A proporção da competição é ainda maior, pois não se compete por um mercado e sim se compete para aparecer e isso gera brigas, discussões desnecessárias, frustrações, cobranças, ego e vaidades exacerbados… As pessoas não se aceitam e acham que sendo vistas como “modelos” passarão a se aceitar e a serem aceitas pelos outros também, o que é uma grande ilusão, pois ser modelo é uma profissão e para tanto, é necessário se especializar, estudar, investir na carreira e reconhecer que você é apenas mais um produto no mercado e se não for escolhida para um catálogo, será escolhida para outros… O fato de eu ser miss simpatia exige uma atenção e cuidados redobrados, pois represento uma categoria, um grupo, por isso, devo tomar muito cuidado com o que falo ou faço, pois pode comprometer a minha imagem profissionalmente, já que todos os holofotes se voltam para as Misses, sejam elas plus ou não.
5- Recentemente, você gravou o curta-metragem “Gilda”, certo? Conta pra gente como foi essa experiência e como surgiu essa ideia.
972304_525970817467663_556533873_nEu conheci o cineasta David D’Visant através do Facebook, ele acompanhava o meu trabalho e gostava muito. Tornamo-nos amigos e passamos a conversar sobre o seu trabalho e sobre a possibilidade de eu participar de um curta-metragem de sua autoria. Logo aceitei, pois desde criança sempre quis ser cantora e atriz, estes sempre foram os meus sonhos, mas nunca tive a oportunidade… Vislumbrei neste curta a realização de um sonho. Se dará certo ou não, vamos ver daqui pra frente…. Para mim, a experiência foi incrível, pois além de ter ido pela primeira vez à Curitiba, conheci o David que é um gênio, super criativo e cheio de ideias, ao mesmo tempo que é uma pessoa muito simples e prática. Ele sabia que eu não tinha nenhuma experiência como atriz e mesmo assim me deu esta grande oportunidade. Foi muito legal ter a participação da amiga Liliana Suemi Nakakogue e seu esposo Fábio Kiatkosk de Cristo no curta também, eles estavam comigo e logo foram aproveitados no projeto.
6- Quais foram as suas maiores conquistas profissionais?
Nossa, foram muitas! Acho que cada trabalho, cada loja que meu deu uma oportunidade merece ser destacada, mas em matéria de marketing e cachês, com certeza os trabalhos mais importantes foram para as marcas Duloren e Leader, que me consagraram a modelo que sou hoje! Mas em se tratando de conquistas, não posso deixar de destacar que ser a Miss Simpatia Plus Size Carioca foi uma delas, assim como ser capa de uma revista internacional, a BBW Beauties, também participar de um curta-metragem, desfilar para o Edson Eddel, fotografar para a grande marca curitibana Otero Plus Size e para as marcas cariocas que sempre me tratraram com amor e carinho: Dorcas Sob Medida, Lufille, Morena Malagueta, Ótica Pérola, Ana Rebello, Equality Jeans, Loja Shalon, desfilar para a Glamur, Lucia Stamato, Via Plus, bom….Tudo isso foi fundamental! Ser jurada em vários concursos, ser a primeira modelo plus size da agência MF Models que hoje tem quase 80 modelos plus size cadastradas… É só vitória!
7- Você é linda, é um sucesso, muito conhecida por todos, admirada e requisitada por diversas marcas. Como você vê isso? Você imaginava que um dia seria quem você é hoje?
Isso é maravilhoso, creio que é fruto de um trabalho sólido e persistente. Valorizo cada marca que me _MG_6696 (1)valoriza e honro a todos aqueles que me honram. Eu nunca imaginei que chegaria tão longe, também nunca pensei em ser modelo, nem quando era criança…. Mas Deus me deu esta oportunidade e estou aproveitando enquanto posso. Tenho muitos amigos e muitos inimigos também, afinal, felicidade alheia sempre incomoda e não sou de puxar saco de ninguém, sou profissional ao extremo e não me meto em panelinhas, fofocas e picuinhas, por isso irrito muita gente… rs
8- Como você vê o mercado Plus Size no Brasil atualmente? Está caminhando bem, ou ainda falta algo?
A moda plus size é uma tendência no mercado da moda que visa atender à grande parte da população brasileira hoje que vive acima do peso “ideal” de acordo com os padrões pré-estabelecidos histórico, social e culturalmente pela sociedade contemporânea. Por muito tempo homens e mulheres gordos foram discriminados e ignorados pelo mercado da moda, com o passar dos anos, o número de pessoas obesas no Brasil e no mundo cresceu muito, o que impactou diretamente no mercado, a partir disso, o mundo fashion vem se modificando para atender à necessidade destes consumidores que possuem um poder aquisitivo alto e estão cada vez mais exigentes. Obviamente que ainda há muito preconceito, principalmente para aqueles que estão habituados a trabalhar no mercado tradicional com modelos magras, pior ainda é a falta de conhecimento sobre este mercado, onde muitos pensam que o objetivo ainda é fazer apologia à obesidade, o que não é verdade. Ainda há a diferenciação de cachês em alguns trabalhos com relação aos cachês pagos para as modelos “convencionais”, no entanto, muitos profissionais já estão se adequando a esta nova realidade e aceitando as modelos plus size que, com certeza, vieram para ficar! É claro que vimos caminhando bastante desde o aparecimento deste nicho de mercado no Brasil, porém há muita coisa a ser modificada. O mercado plus size está banalizado, poucas glamourmodelos possuem cursos e profissionalização na área, hoje em dia, muita gordinha se autodenomina modelo plus size sem ter perfil comercial para tal e muito menos preparo e ainda, nunca realizaram sequer um trabalho como modelo e colocam lá nas redes sociais que são “ modelos plus size”, isso faz com que as lojas pouco invistam em modelos profissionais e dificulta o trabalho de quem realmente leva a carreira a sério.
9- Quais são os seus projetos futuros no segmento plus size?
Sinceramente, não sei… Já tive muitos projetos e também muitas decepções com pessoas do meio e não sei se desejo continuar… Devo continuar trabalhando como modelo sim até quando Deus quiser, mas estou me afastando cada vez mais deste tal “mundo plus size”, estou focada em outros planos e projetos… Concluir meu mestrado, passar em outro concurso público, tocar a agência MF Models…, em outubro e novembro estarei desfilando nos Estados Unidos em dois grandes eventos de moda e creio que muitas coisas podem mudar a partir daí em minha carreira, também não sei qual será a repercussão do curta Gilda, o que pode mudar também os meus planos, talvez eu curse teatro…. Sinceramente, é tudo uma incógnita na minha cabeça….Vou deixar fluir…
10- Qual conselho você daria para uma mulher que quer iniciar na carreira de modelo?
Primeiro que procure conhecer o mercado. Não se jogue de cabeça aonde você não conhece, não invista seu dinheiro naquilo que não te dará retorno. Veja se realmente você possui um perfil comercial antes de ingressar na carreira, pois ser uma gordinha bonita, gostosa e bem resolvida é uma coisa e ser modelo é outra completamente diferente e tem muita gente confundindo as coisas, querendo ser modelo a todo custo e não16062013-DSC_1268 ter nascido pra isso… Pesquise na internet, revistas, catálogos e veja que tipo de mulheres gordinhas estão estrelando campanhas publicitárias, etc… Se você se vê como uma delas, invista! O segundo passo é fazer um book profissional de qualidade e enviar para agências.
11- Dica que você dá para as mulheres gordinhas se sentirem bonitas e elegantes.
A dica é: Você não precisa ser MODELO para se sentir bonita e elegante. Este é um processo de dentro para fora. Você precisa se amar e se cuidar independente de seu tamanho. Estudar, praticar esportes, ouvir boa música, ler bons livros, fazer novos amigos, sair de casa e deixar o marasmo, são fatores principais para quem quer se sentir bem e ter mais qualidade de vida! Se não estiver satisfeita com seu corpo, mude-o! Você é a única pessoa que poderá fazer isso! O que não pode é você ficar em casa depressiva, achando que porque engordou o mundo conspira contra você e que nunca mais será feliz, etc… Você pode não ter mais o corpo que tinha quando tinha 15 anos, mas hoje você é uma mulher madura e viveu coisas em sua vida que só você sabe. Não se entregue aos problemas cotidianos, sempre haverá uma luz no fim do túnel, afinal, “ não há mal que dure para sempre”. Beijoss
16062013-DSC_1323
Contatos
Marlucia Félix – 33 anos
Manequim – 48/50
E-mail: marluciamps@yahoo.com.br
Twitter: @marluciafelix
Bom, é isso galera! Espero que vocês tenham gostado de conhecer um pouco mais sobre essa personalidade incrível do mundo Plus Size.
Um beijo e até a próxima!!!!!!

Postagens mais visitadas